John Deere anuncia investimentos na expansão da fábrica de Catalão (GO).

A capacidade de fábrica de Catalão (GO) aumentará em 30% em 2015


O aumento na demanda por colhedoras de cana e pulverizadores levou a John Deere a investir cerca de US$ 40 milhões na expansão da sua fábrica de Catalão, em Goiás. A expansão, que vai aumentar em 30% a capacidade de produção da fábrica, será concluída no início de 2015.


Leo Marobin, gerente da unidade, ressalta a importância dos investimentos. “A John Deere está comprometida com o desenvolvimento da agricultura no Brasil. A expansão da é um sinal de que os agricultores brasileiros buscam cada vez mais tecnologias para produzir o ano inteiro. É o que chamamos de ‘agricultura sem parar’”, diz.


Com os investimentos, a unidade de Catalão crescerá de 30.000 m² para 45.000 m² e permitirá, dentre outros, a instalação de um novo, mais moderno e automatizado sistema de pintura. Além disso, o almoxarifado será expandido em 75% e o novo parque logístico de caminhões vai aprimorar o fluxo de carga e descarga de materiais. As obras vão gerar cerca de 300 empregos.


Segundo Marobin, os investimentos darão suporte ao rápido crescimento da Deere no País. “É o quarto investimento de grande porte anunciado pela companhia nos últimos meses, o que demonstra o grande avanço da empresa no Brasil. A expansão de Catalão vem de encontro à crescente demanda dos agricultores brasileiros por eficiência produtiva”, avalia. “Já havíamos anunciado investimentos de R$ 60 milhões, em 2012, para início da produção de pulverizadores. Nesse sentido, investir na expansão da fábrica significa oferecer melhores produtos e serviços aos agricultores”.


Agricultura de precisão


Marobin explica que o desenvolvimento da agricultura de precisão no Brasil está relacionado diretamente à necessidade de melhores tratos culturais, assegurando a saúde das lavouras. É aí que a John Deere contribui com pulverizadores de alta tecnologia e eficiência, protegendo as culturas dos efeitos nocivos de insetos, doenças e ervas daninhas. “Atualmente produzimos duas versões de pulverizadores, que se adaptam a qualquer tipo de propriedade rural”, afirma.


O investimento em Catalão reforça também os recentes lançamentos das novas colhedoras de cana ao mercado nacional. As versões 2014 das colhedoras 3520 e 3522 agora são equipadas com o sistema CICB (Controle Integrado de Corte de Base), que minimiza impactos nas soqueiras e permite redução no consumo de combustíveis. “A nova plataforma traz um sistema que automaticamente se adapta aos desníveis do solo. Assim, o produtor ganha em qualidade, redução de consumo de combustível e reposição de peças. Além disso, o novo sistema previne a máquina contra impurezas minerais”, explica Marobin.


Abril, 2014.