Paulo Herrmann destaca relevância da sustentabilidade para o agronegócio

Em eventos pelo Brasil, presidente da John Deere aborda importância da adoção de tecnologias e da ILPF para o futuro da agricultura

Notícia   14 de Junho de 2018

Nesta semana, Paulo Herrmann, presidente da John Deere Brasil, participou do Congresso Brasileiro da Soja, em Goiânia (GO), na terça-feira (12), e do Mosaico do Agronegócio, em Santa Maria (RS), na quarta-feira (13), para abordar os principais desafios e oportunidades do agricultor, com destaque para o protagonismo que nosso País deve assumir no cenário agropecuário global nos próximos anos.

 

De acordo com sua palestra durante o Congresso Brasileiro da Soja, para atingir esse nível de produção e atender a essa demanda crescente, os agricultores precisam contar ainda mais com a tecnologia e saber aproveitar 100% de suas possibilidades e benefícios. “Muitos processos hoje já são digitais ou mecanizados e essa tendência deve se intensificar ainda mais nos próximos anos. Contar com a participação dos jovens durante essa revolução tecnológica, que tem dado origem à Agricultura 4.0, pode tornar essa fase mais fácil e produtiva. Isso só será possível com a harmonização das gerações no campo, ao estabelecer pilares concretos para a sucessão familiar e abrir espaço na lavoura para as futuras gerações e o que trazem de novo: visão, ideias e valores”, afirma.

 

Já no Mosaico do Agronegócio, Paulo Herrmann reforçou a importância da sustentabilidade para o futuro do agronegócio e o papel fundamental que a ILPF (Integração Lavoura-Pecuária-Floresta) desempenha nesse contexto, buscando a intensificação sustentável do uso da terra em áreas agrícolas e o aumento da eficiência dos sistemas de produção, além de responder a uma necessidade de redução de desmatamento e da emissão de gases de efeito estufa, inclusive promovendo recuperação de terras degradadas. “Ao mesmo tempo que promove o desenvolvimento da agricultura brasileira, o sistema ILPF ainda protege biomas, trabalha sobre áreas degradadas e planta árvores, e resulta em maior produtividade agrícola. Além disso, o metano eliminado da pecuária retorna para a árvore. Em suma: adotar o ILPF é demonstrar que produzir e preservar é possível", disse o presidente da John Deere Brasil. "E vamos trabalhar cada vez mais para que os produtos gerados em propriedades que adotam ILPF sejam valorizados e reconhecidos pelos consumidores e pela sociedade em geral, assim como aconteceu com os produtos orgânicos", completa Herrmann. 

Paulo Herrmann palestrando no Congresso Brasileiro da Soja. (Foto: Malinovski)

Paulo Herrmann palestrando no Congresso Brasileiro da Soja. (Foto: Malinovski)