Notícia   06 de Abril de 2018

Com apoio da John Deere, Embrapa realiza Dia de Campo ILPF em fazenda modelo do Cerrado

O evento, realizado na Fazenda Santa Brígida (GO), apresentou novidades sobre sistemas de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta

Por conta de peculiaridades nas lavouras, como mudanças climáticas e alterações econômicas, é importante que os produtores agrícolas saibam extrair o máximo de suas plantações, mantendo suas atenções às questões ambientais e sociais. Para guiar o setor de agricultura a um crescimento sustentável, a Embrapa, com apoio da Rede de Fomento ao ILPF, promoveu nesta sexta-feira (6/4), na Fazenda Santa Brígida, em Ipameri (GO), o 12º Dia de Campo ILPF (Integração Lavoura-Pecuária-Floresta).

Com o objetivo de difundir os sistemas de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta do ponto de vista econômico, ambiental e social, o Dia de Campo apresentou novas tecnologias para o aumento de produção e manutenção do cultivo, além de conferir as estações técnicas sobre o Sistema Santa Brígida (consorciação de milho com leguminosas), saúde do solo e viabilidade econômica do ILPF. Além disso, na fazenda modelo, os participantes tiveram a oportunidade de tirar dúvidas com os palestrantes pesquisadores da Embrapa, além de técnicos e consultores.

Desde 2006, a John Deere apoia o ILPF, que fomenta o sistema de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta, por meio de ações de transferência de tecnologia e da difusão das melhores práticas de integração. Com a criação da Rede de Fomento ao ILPF, em 2012, que visava a aceleração da adoção dos sistemas de integração, a John Deere continuou a apoiar o programa, que, hoje, conta com uma rede de 107 Unidades de Referência Tecnológica. O presidente da companhia no Brasil, Paulo Herrmann, é também presidente da Rede.

Encontro técnico

No dia anterior, a Rede de Fomento promoveu também uma reunião técnica para debates e apresentação de cases de sucesso de ILPF. O Secretário de Inteligência e Relações Estratégicas da Embrapa, Renato Rodrigues, abordou a inovação tecnológica sustentável no agronegócio, sendo seguido por Paulo Herrmann, que trouxe debate sobre os novos desafios a serem enfrentados pela Rede.

“Estamos lançando a segunda fase do programa, com um pilar importante para a formação de profissionais mais qualificados e preparados para administrar a complexidade que envolve a execução de diversas atividades previstas na ILPF. Precisamos de um novo perfil de profissional, capaz de interpretar os dados gerados e transformá-los em conhecimento que resulte em crescimento”, disse Paulo Herrmann. “Para isso, é fundamental que as instituições revejam suas grades curriculares e nos ajudem a preparar os futuros profissionais para este novo momento”, completou.

Produtores das fazendas São Mateus, de Selvíria (MS); Agronelli Pecuária, de Nova Guarita (MT); Estância Anna Sophia, de Cuiabá (MT); e Agropecuária Fleta, do Rio de Janeiro (RJ), apresentaram as histórias de suas propriedades, discorrendo sobre os desafios encontrados na adoção do ILPF e o que foi feito para superá-los.

A Rede de Fomento ao ILPF tem o apoio da John Deere, Embrapa, Cocamar, Soesp, Syngenta e Bradesco.

Sobre o ILPF

Uma estratégia de produção que integra diferentes sistemas produtivos, agrícolas, pecuários e florestais dentro de uma mesma área, a Integração Lavoura-Pecuária-Floresta foi desenvolvida para contornar os problemas como erosão, perda de fertilidade dos solos, assoreamento dos cursos d’água, poluição do solo e da água e emissões de gases de efeito estufa. Conforme os números obtidos pela pesquisa ILPF em Números, encomendada pela Rede de Fomento, em 2015 e 2016, estima-se que o Brasil tenha 11,5 milhões de hectares cultivados com sistemas de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta, com cerca de 10% de crescimento na adoção, ao ano.