Notícia   18 de Outubro de 2017

John Deere debate projeções para próxima safra de cana de açúcar na Canaplan

O setor sucroalcooleiro está entre os itens mais exportados pelo agronegócio brasileiro em 2016, representando 13% do total e alcançando o valor de US$ 11,34 bilhões.

 

A grandeza dos números de cana-de-açúcar no Brasil hoje (mais de 8,6 milhões de hectares plantados, e mais de 650 milhões de toneladas colhidas na safra 2016/17) mostra a relevância desta cultura, e a necessidade, cada vez maior, de altíssimos níveis de produtividade e de um gerenciamento efetivo da produção.

 

Para atender a todas as etapas produtivas e conectar a inteligência da máquina e das pessoas a fim de executar o trabalho no campo, a John Deere possui um portfólio completo de soluções, que permitem que o produtor conheça melhor sua lavoura e, com isso, aplique o elemento correto, na medida correta, no lugar correto e no tempo correto.

 

A Canaplan, empresa de consultoria do setor agroindustrial da cana-de-açúcar realiza duas reuniões anuais para discutir as perspectivas para o setor. A última aconteceu em 17 de outubro, em Ribeirão Preto (SP), e teve como temas a reavaliação da safra 2017/18 e primeira visão da safra 2018/19. “A John Deere apoia as iniciativas porque são importantes espaços para discussões, previsões e análises da safra de cana-de-açúcar, já que participam produtores de cana, usinas, tradings, agentes financeiros, empresas químicas, de bens de capital e consultores, ou seja, os principais decisores do setor”, diz Carlos Newton Graminha, gerente de Vendas da John Deere para Cana de açúcar.

 

“A John Deere investe constantemente neste segmento, seja com lançamentos recentes, como a Pá-carregadeira 624K-II versão para bagaço de cana, da linha amarela, e o Monitor de colheita, passando pela expansão da fábrica de colhedoras de Cana, em Catalão (GO), ocorrida neste ano”, completa Graminha.