Notícia   25 de Agosto de 2017

Na 40ª edição da Expointer, John Deere mostra o resultado do uso da tecnologia para melhor desempenho do produtor

Nas últimas décadas, o Brasil passou de nação importadora para grande produtor de alimentos, responsável pela oferta de proteínas e fibras em mesas do mundo todo. Grande parte dos bons resultados agropecuários ocorreu devido ao ingresso da tecnologia no campo, desde a adoção de genética, passando por máquinas e implementos até a utilização mais recente dos benefícios da agricultura de precisão.

E é para ressaltar seu portfólio de soluções integradas de agricultura de precisão e alta tecnologia, que proporcionam aos clientes cada vez mais produtividade, que a John Deere participa da Expointer 2017, entre 26 de agosto e 3 de setembro, em Esteio (RS). No evento, mais do que máquinas e implementos, a empresa apresenta soluções adequadas para todas as etapas produtivas e conta ainda com uma atuação proativa na consultoria aos clientes, a fim de otimizar o negócio.

“Após tantos anos, a Expointer já é uma das feiras agropecuárias mais tradicionais do País e cenário para que sejam apresentadas inovações. Por isso, a John Deere está presente no evento com um conceito muito claro: demonstrar que a alta tecnologia no campo faz a diferença no negócio do agricultor, auxiliando-o a produzir mais, sem abrir novas áreas. Por meio da agricultura de precisão, ou seja, ao aplicar o elemento correto, na medida correta, no lugar correto e no tempo correto, é possível gerar a rentabilidade desejada de forma sustentável ao negócio”, ressalta Rodrigo Bonato, diretor de Vendas da John Deere Brasil.

De acordo com o executivo, a Expointer é extremamente relevante dada a participação da região Sul na produção agropecuária brasileira, principalmente pela atuação de médios e pequenos produtores, além da agricultura familiar. Segundo números do CONAB, a região foi responsável por cerca de 81% da produção brasileira de arroz (8.728,6 mil toneladas, com produtividade de 7.930 kg/ha), enquanto o milho, favorecido pelas condições climáticas, apresentou a melhor produtividade média registrada no País, com 7.500 kg/ha, atingindo uma produção de 6.036,8 mil toneladas.

Pela proeminência da região, o estande da John Deere na feira oferece um portfólio completo de soluções em agricultura de precisão. “A tecnologia existe para executar operações agrícolas de forma eficiente, ou seja, utilizamos as diversas fontes de informação que temos, como dados das máquinas, da operação, as condições de solo e clima, os mapas de produtividade e as prescrições agronômicas, e somamos com a consultoria de nossa rede de concessionários, de forma que a melhor decisão seja tomada pelo cliente”, explica Bonato.

A John Deere inova uma vez mais e lança no mercado sua linha Reman. É a primeira empresa do segmento agrícola a oferecer este tipo de modalidade de compra a seus clientes. As peças remanufaturadas possuem a mesma garantia das novas, mesma performance, com uma redução de até 30% nos preços, além de toda a responsabilidade ambiental, uma vez que o programa se orienta para a reciclagem de peças.

Atualmente, a John Deere conta com mais de 270 pontos de vendas, que oferecem toda a estrutura de Pós-Vendas, realizando com excelência serviços de otimização e manutenções preventivas, assim como a disponibilidade de peças e serviços, a fim de garantir que nossas máquinas entreguem seu potencial máximo e contribuam para maior produtividade no campo. Recentemente, como reconhecimento dos investimentos em inovação e tecnologia, a John Deere foi eleita, pelo segundo ano consecutivo, como empresa mais inovadora no prêmio Valor Inovação Brasil na categoria “Automotiva e veículos de grande porte”.


Atrações no estande

A Expointer é palco também da entrega do trator 6100J da campanha “Seu John Deere Sempre Novo”, iniciada na Agrishow, para estreitar o relacionamento com os clientes e incentivá-los a utilizarem as soluções completas em pós-vendas, peças e serviços originais em seus equipamentos. Já o Banco e o Consórcio John Deere estarão na feira para orientar os clientes sobre as melhores formas de financiamento e crédito.

No estande acontecem, diariamente, apresentações ao vivo do Especialista em Ação, quando um time de especialistas abordará diferentes temas, incluindo as novidades que são apresentadas na feira. Os clientes terão ainda facilidades como Espaço Kids com tablets para jogos, quebra-cabeças e jogos da memória personalizados para entreter as crianças; o Piquete Gaúcho, área dedicada à cultura da região e a bebida típica, o chimarrão; e a John Deere Store, com produtos da marca para venda.


Inovações em grãos

No campo, a tecnologia auxilia desde o aumento da produtividade e menor custo com combustíveis até o conforto do operador. Muitas vezes, as inovações são adaptadas às características geográficas das regiões, para que o trabalho se torne mais produtivo. Por exemplo, a região sul possui o desafio de ter condições de solo com aclives e declives – além de necessidades específicas para as máquinas, como trabalhar em solos irrigados onde se produz arroz.

Os detalhes da tecnologia da John Deere são os diferenciais que atraem os produtores, e para aumentar ainda mais a produtividade nas culturas arrozeira e de soja, a John Deere apresenta plataformas para arroz e soja, que podem ser utilizadas nas colheitadeiras S660 versão arrozeira e também o kit de soja, que traz maior flexibilidade de uso para essas colheitadeiras.

Como novidade, em suas soluções de colheita a John Deere realizou uma parceria com a empresa GTS, e vai oferecer uma linha de plataformas GreenSystem™ para milho com maior número de linhas, compatível com as colheitadeiras Série S e que garante qualidade e variadas opões de ataques ao solo – algo fundamental ao produtor de milho para colher nas diferentes condições da lavoura, como o milho acamado. A companhia disponibiliza ainda uma solução com tecnologia georreferenciada que facilita o processo de sistematização nas lavouras de arroz para trabalhos de terraplenagem, drenagem, construção de terraços e taipas (iGrade).

Os participantes da feira conhecerão os modelos 2018 das colheitadeiras S400, com destaque para o mapa de produtividade e tecnologias para entregar maior qualidade de grão e reduzir índices de perdas. Nas colheitadeiras S400, todo o desenvolvimento em P&D e engenharia foi pensado em prol dos pequenos e médios agricultores. “Como resultado temos máquinas mais leves, ágeis e com tecnologias que auxiliam a colheita em áreas com declividade acentuada como a tração e o ajuste automático ao terreno”, explica Marcos Balsan, especialista em Soluções para Colheita da John Deere Brasil. Adicionalmente, um sistema de limpeza de grãos ajusta a abertura das peneiras para alto desempenho, mesmo nas subidas e descidas das terras gaúchas.

Considerando preocupações do produtor como a redução do desperdício de defensivos e o menor amassamento das culturas, além dos desafios das terras do Sul, a John Deere atualizou seu pulverizador 4630, de forma que ele possa atuar nos terrenos inclinados sulistas de até 38% de inclinação com maior precisão e 27% mais tração.

A linha de máquinas de construção, também muito utilizada em aplicações agrícolas, vai estar representada no estande da John Deere pela versátil Retroescavadeira 310L, adequada para diversos tipos e tamanhos de propriedade e que desempenha diversas funções, tais como abertura de valas, drenagem e irrigação da tela –voltadas, portanto, para a rizicultura.


Soluções integradas para pecuária

A pecuária tem também forte presença no Rio Grande do Sul: segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, foi o estado com o maior número de abates de ovinos, em 2016, com 76% do total nacional. Pela importância do segmento, a John Deere está se inserindo, cada vez mais, neste mercado, com soluções como o trator 6100J, a forrageira da Série 8000, enfardadoras, grades, roçadeiras e carregadoras frontais.

A Série de Tratores 6100J dispõe de tecnologias necessárias para executar operações variadas, como explica Tiago Dickel, especialista em Soluções para Preparo de Solo da John Deere: “A economia de tempo nas operações representa ganho de produtividade para o cliente, então recursos como engatar marcha à ré sem parar o trator, que significam menos manobras e trocas de marcha, são aliados importantes, além da capacidade do tanque de combustível que pode superar 12 horas, sem a necessidade de reabastecimento”. O piloto automático da máquina é outro recurso relevante, já que o operador foca a atenção nos implementos e deixa que a máquina siga no talhão automaticamente.

A alimentação do gado é um passo fundamental para a engorda e o corte da forragem é significativo neste contexto. O trabalho adequado de uma forrageira garante a qualidade no alimento. “A máquina precisa ter um dispositivo que quebre o grão de milho durante a colheita, melhorando a digestibilidade do alimento e, consequentemente, o desempenho animal”, explica Davi Fortuna, especialista em Soluções para Pecuária John Deere.

De acordo com Fortuna, “o diferencial de uma forrageira é a combinação do novo suporte com o maior comprimento das facas, que permite manter um corte preciso, sem perda de desempenho durante toda a temporada de corte”. Nem mesmo ajustes periódicos precisam ser feitos, devido ao sistema de contrafacas inteligentes. “Este sistema de corte de alto rendimento possibilita, ainda, agilidade na colheita da cultura de milho e garante a qualidade”, completa o especialista.

Já quando existe a necessidade de armazenar a forragem seca, as enfardadoras 469 e 569 proporcionam eficiência, pois possuem um recolhedor com rolo refletor que proporciona mais resistência e maior volume de material colhido.

Mais uma opção disponibilizada, na Expointer, pela John Deere para os pecuaristas é a enfardadora prismática 338 com coletor de perfil baixo, que seleciona até os menores materiais. Para trabalhar em diferentes condições de forragem, o equipamento dispõe de um sistema com adequação do tamanho dos fardos e mecanismo de amarração dupla.